img

NEWS

updates on the mayors challenge

• Media •

Vinte cidades avançam no Mayors Challenge da Bloomberg Philanthropies na América Latina e Caribe

20 Jun 2016

A Bloomberg Philanthropies anunciou hoje as 20 cidades da América Latina e Caribe selecionadas como finalistas no Mayors Challenge de 2016, uma competição que incentiva as cidades a desenvolver ideias ousadas para superar problemas urbanos e melhorar a vida na cidade e que tenham potencial para serem reproduzidas em outros locais.  As finalistas, provenientes de 10 países, continuarão a concorrer ao primeiro prêmio de USD 5 milhões e quatro prêmios de USD 1 milhão, e receberão intenso apoio durante a implementação. As ideias refletem abordagens novas e criativas para alguns dos problemas mais urgentes das cidades da região, incluindo mobilidade, desemprego juvenil, gestão de resíduos, obesidade e inclusão social e econômica para os imigrantes e as pessoas com deficiência.

“Recebemos uma quantidade tão grande de boas ideias para este Mayors Challenge que escolher apenas 20 finalistas já foi, por si, um grande desafio. Essas ideias realmente captam a diversidade da região e a criatividade e compromisso de seus líderes e cidadãos em melhorar as cidades. Cada uma delas tem potencial de melhorar as vidas dos residentes locais e, caso funcionem, de serem largamente difundidas. Estamos animados para trabalhar com todas as finalistas em suas propostas e ver as cidades vitoriosas darem torná-las realidade.” disse Michael R. Bloomberg, fundador da Bloomberg Philanthropies e três vezes prefeito da cidade de Nova Iorque.

O Mayors Challenge 2016 é o primeiro da Bloomberg Philanthropies na América Latina e Caribe após o sucesso das competições nos Estados Unidos e Europa. Depois de receber inscrições de 290 cidades qualificadas em abril, a Bloomberg Philanthropies realizou uma análise profunda das ideias, com o apoio da extensa rede global da Bloomberg e de um comitê de seleção de 13 especialistas de inovação e políticas de toda a América Latina e Caribe. Por fim, as 20 melhores ideias e mais inovadoras foram selecionadas para continuar na competição.

As 20 ideias finalistas foram avaliadas segundo quatro critérios básicos: visão, potencial de impacto, plano de implementação e possibilidade de serem reproduzidas em outras cidades. As finalistas participarão do Ideas Camp da Bloomberg em Bogotá, na Colômbia, uma reunião de dois dias onde trabalharão com especialistas e cidades congêneres para melhorar ainda mais suas propostas. Os vencedores serão anunciados no fim de 2016.

As ideias das finalistas (descritas abaixo) demonstram o pensamento inovador em suas abordagens aos desafios urbanos comuns presentes em cidades de todas as regiões:

1. Assunção, Paraguai – Dados: Acabar com a lacuna de dados socioeconômicos da cidade com a realização de pesquisa liderada por cidadãos para reunir informações demográficas que possam informar e medir o impacto das decisões políticas pela primeira vez.

2. Barueri, Brasil – Inclusão social para pessoas com deficiência/desenvolvimento de mão de obra: Aumentar o acesso ao mercado de trabalho para pessoas com deficiência com a criação de uma rede física e virtual para melhorar a capacitação para o trabalho, analisar as condições dos locais de trabalho e prestar assistência técnica aos empregadores e candidatos a emprego.

3. Bogotá, Colômbia – Educação: Duas vezes ao dia, a cidade aproveitará todos os meios de transporte, instalações públicas, voluntários e história cultural da cidade para melhorar e encurtar os longos de deslocamento escolar diários para as crianças.

4. Cabo Haitiano, Haiti – Soluções para resíduos/ meio-ambiente: Reduzir o desmatamento e a destruição do mangue com a criação de biodigestores comunitários, que são recipientes fechados que decompõem os resíduos orgânicos e os transformam em energia renovável.

5. Caracas, Venezuela – Inclusão social para pessoas com deficiência/mobilidade: Recrutar voluntários para conduzir as pessoas com deficiência motora de e para pontos de transporte público e fornecer assistência durante seus deslocamentos, permitindo o acesso à educação, cultura, saúde, emprego e cidadania produtiva a um segmento vulnerável da população.

6. Corumbá, Brasil – Meio-ambiente/desenvolvimento econômico: Combater o aumento da degradação ambiental causado pelo descarte inadequado de minério, um subproduto da mineração, transformando os resíduos em materiais úteis para construção.

7. Curitiba, Brasil – Inclusão social para pessoas com deficiência/mobilidade: Com base em sua história de inovação no trânsito, melhorar a mobilidade das pessoas com deficiência por meio da integração de serviços de transporte mais inclusivos e introdução de rotas mais eficientes.

8. Estación Central, Chile – Inclusão social para imigrantes / empreendedorismo: Promover a inclusão social conectando imigrantes a novas ideias de negócios com assistência técnica, espaço de escritório e empresários locais que procuram sócios para criar nova startups.

9. Godoy Cruz, Argentina – Soluções para resíduos: Evitar a eliminação ilegal de resíduos em canais, uma característica essencial do sistema de irrigação da cidade, colocando sensores para monitorar e identificar o local exato onde as infrações ocorrem.

10. Guadalajara, México – Transparência/eficiência governamental: Combate à corrupção ao simplificar os requisitos legais para projetos de construção por meio de um novo aplicativo georreferenciado que mapeia publicamente os nomes, planos, licenças e pagamentos de empresas, acelerando o tempo de processamento e aumentando a transparência.

11. Kingston, Jamaica – Desemprego juvenil/desenvolvimento de mão de obra: Combater o desemprego juvenil arraigado por meio de uma plataforma digital móvel que incentiva os jovens a explorar, criar e acessar oportunidades de carreira em vários setores, especialmente do setor musical e cultural da Jamaica, com base em seus pontos fortes e interesses.

12. Medellín, Colômbia – Segurança pública/fortalecimento financeiro: Reduzir a demanda por empréstimos ilegais que financiam o crime organizado por meio da criação de cooperativas de crédito nos bairros que ofereçam empréstimos comerciais a juros baixos e conexões para empregos.

13. Milagro, Equador – Sustentabilidade ambiental: Incentivar a preparação para emergências em crianças com a criação de uma rede coordenada e formada por alunos que promova uma preparação mais adequada para condições meteorológicas adversas e desastres naturais.

14. Pudahuel, Chile – Educação: Conectar cidadãos aposentados que desejem fazer trabalho voluntário a famílias que necessitem cuidado para suas crianças após o horário escolar, a fim de reduzir o isolamento social de idosos e fornecer um serviço vital para as famílias.

15. Rio de Janeiro, Brasil – Saúde pública: Melhorar os padrões e resultados da assistência de saúde das crianças por meio da eliminação de silos e integração de dados entre as agências para promover a saúde e o bem-estar das crianças de zero a seis anos.

16. Santiago (Comuna), Chile – Saúde pública: Criar desafios em toda a cidade, incentivar grupos comunitários a trabalhar em conjunto para reduzir a obesidade; as comunidades ganham pontos que podem usar para financiar infraestrutura cívica e de lazer local.

17. São Paulo, Brasil – Desenvolvimento econômico: Criar uma troca online que conecte a crescente demanda local de restaurantes, mercados e escolas por produtos agrícolas fabricados localmente com agricultores na periferia da cidade que estejam em dificuldades, resolvendo uma falha de mercado.

18. Tlalnepantla de Baz, México – Coesão social: Publicar e promover um catálogo municipal de boas ações, um esforço para resolver a apatia cívica generalizada, envolvendo os cidadãos em atos como ajudar os idosos e melhorar o ambiente local.

19. Tuxtla Gutiérrez, México – Anticorrupção: Combater a corrupção e melhorar a eficiência por meio da simplificação da prestação de serviços para transações públicas e permitir aos usuários monitorar a atividade dos funcionários públicos com um novo aplicativo móvel.

20. Valdivia, Chile – Empreendedorismo: Direcionar a pesquisa acadêmica promissora para problemas práticos e ajudar a economia local, testando ideias brilhantes de universidades locais em mercados reais com um novo laboratório móvel.

“As cidades finalistas deste ano estão utilizando inovações para resolver necessidades concretas, claras e urgentes dos cidadãos – com grande ênfase em populações vulneráveis”, disse James Anderson, diretor dos programas de inovação governamental da Bloomberg Philanthropies’. “Há tantas coisas que as cidades de todo o mundo podem aprender com a forma como esses finalistas estão engajando cidadãos e dados para resolver necessidades urgentes.”

Para saber mais sobre o Mayors Challenge, acesse www.mayorschallenge.bloomberg.org e @BloombergCities no Twitter e Instagram.

Sobre a Bloomberg Philanthropies

A Bloomberg Philanthropies trabalha em mais de 120 países no mundo inteiro para garantir vidas melhores e mais longas para o maior número de pessoas. A organização foca em cinco áreas críticas para introduzir uma mudança duradoura: Artes, Educação, Meio Ambiente, Inovação Governamental e Saúde Pública. A Bloomberg Philanthropies engloba todas as atividades beneficentes de Michael R. Bloomberg, incluindo sua fundação e suas doações pessoais. Em 2015, a Bloomberg Philanthropies distribuiu mais de meio bilhão de dólares.  Para obter mais informações, acesse bloomberg.org ou siga-nos no FacebookInstagram, Snapchat, e Twitter @BloombergDotOrg.

Contato de mídia

Bloomberg Philanthropies, Rebecca Carriero, (212) 205-0182 rebeccac@bloomberg.org